Kuroshitsuji – Uma obra-prima








Por onde começar quando se quer fazer uma crítica a este anime/manga? Kuroshitsuji significa mordomo negro, em japonês. Então o título já remete para algo a um tempo ocultista e sofisticado.

Kuroshitsuji-Sebastian & Ciel
Kuroshitsuji-Sebastian & Ciel

E não poderia ser de outra forma. Afinal, Kuroshitsuji passa-se na Londres vitoriana, onde a ciência e a magia negra se fundiam para transgredir a sociedade do requinte. Mais exatamente, Kuroshitsuji aprimora esse ambiente gótico com uma refinada poção à base de violência, drama, misticismo e um toque de sensualidade.

Kuroshitsuji - Alois & Claude
Kuroshitsuji – Alois & Claude

O submundo da sociedade vitoriana torna-se transparente no enredo, assim como as profundezas mais obescuras da mente humana.

Os mordomos são demónios com os quais as crianças nobres fizeram um pacto. A intenção dos anjos é ambígua, os ceifeiros são humoristicamente malígnos e os humanos são toda aquela confusão de sentimentos que só seres pequenos como nós conseguem abarcar.

Kuroshitsuji - Sebastian
Kuroshitsuji – Sebastian

É neste sentido que todos os personagens são brilhantemente trabalhados, a história flui com ligeireza até o enredo começar a ganhar corpo e o final é simplesmente arrepiante.
Em Kuroshitsuji, nada é o que parece, mas tudo faz muito sentido. Este é, sem dúvida, um dos melhores animes/mangas já lançados, praticamente uma obra-prima, e, no fim, fica a questão: tem mais força a fome de um demónio, a ganância de um anjo, ou o ódio de um ser humano?

Mónica Durães








Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *