Ah! Megami-sama – No céu só tem loucas







Ah! Megami-sama conta a história do universitário Keiichi que, quando tenta certo dia fazer uma chamada, esta é misteriosamente reencaminhada para o céu. Quem atende é Verdandi ( erradamente traduzido como Belldandy), a deusa nórdica do presente que se propõe a realizar um desejo de Keiichi. E, adivinhem o desejo “Eu quero ter uma deusa como você comigo para sempre!”.

Verdandi
Verdandi

Pois é, então esta é uma história de amor bem levinha e divertida sobre a relação atrapalhada de Keiichi com Verdandi para quem está cansado de assistir a shounens violentos, seinens macabros ou ecchis de tirar a cueca.
O anime tem, é claro, os seus poréns. Em primeiro lugar, a Verdandi é extremamente irritante. Ela é uma mosca morta, um pãozinho sem sal. Extremamente boa e ingénua, passa a vida dizendo “Keiichi-san”. Lembram da Inoue com o “Kurasaki-kun”? Eu acho que a Verdandi supera pôh.

Verdandi & Keiichi
Verdandi & Keiichi

E o Keiichi é o típico idiota que fala por meias palavras e não tem bolas para se impôr perante aqueles que querem atrapalhar a sua relação.
É estranho que foi logo uma das primeiras coisas em que reparei quando assisti o anime é que os protagonistas são os personagens mais chatos.

Urd
Urd

Ah! Megami-sama só vale pelas deusas Urd e Skuld, pela demónia Marler e outros personagens coadjuvantes. Eles sim dão ritmo, drama e comédia ao anime. Especialmente quando falamos da Urd, meia deusa, meia demónio, aí sim, temos história. Ela é muito louca, nunca vi uma mulher fazer tanta merda como ela.
De qualquer forma, o anime é agradável, tem desenhos bonitos, uma narrativa simples e dispensa muitos dos clichês de merda que hoje somos obrigados a ver em praticamente todos os anime.
Eu aconselho. Fica a dica.








Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *