Shounen vs Seinen – Como distingui-los

Os termos shounen e seinen são muitas vezes utilizados para distinguir diferentes estilos de mangas/animes. Em primeiro lugar é preciso ter em conta que estes termos literalmente traduzidos significam “rapaz” e “homem” respetivamente e referem-se, acima de tudo, ao público alvo a que a obra é destinada. Esta separação é muitas vezes reforçada pela revista, canal ou estúdio responsável pelo anime\manga. Bleach, por exemplo, é claramente um shounen e tem sido publicado na Shounen Jump, a revista semanal shounen mais famosa.
Mas estes termos, antes de mais, fazem uma distinção estilístico-conceptual entre as narrativas. Convém não confundir o género com o tema. O tema pode ser qualquer um: artes marciais, fantasia, mecha, ecchi, desporto, escolar etc. e qualquer tema pode ser shounen ou seinen (pode também ser shoujo, kodomo, Josei entre outros) dependendo da forma como o autor o aborda.







Muitas pessoas distinguem o shounen do seinen pelo grau de violência da obra. Mas eu creio que, embora no geral o seinen seja de fato mais violento que o shounen, isso não é argumento suficiente para distinguir os dois géneros. Penso que eles se distinguem pelas seguintes caracteristicas: o shounen tem uma narrativa mais leve, mais fácil de assimilar; o protagonista é sempre um modelo a ser seguido, seja um herói, um desportista ou outra coisa qualquer, mesmo que no passado tenha sido um vilão; há uma distinção bem estricta do bem e do mal; o vilão é sempre derrotado ou acaba por se tentar redimir dos seus pecados; há humor, drama e acção; o protagonista tem sempre de se auto-superar para enfrentar os desafios; valores como a fidelidade, a amizade, o perdão e o trabalho em equipa estão sempre presentes.
No seinen, a estrutura conceptual da narrativa é mais complexa e geralmente aborda certas questões morais, filosóficas ou políticas, pondo o espectador/leitor na dúvida sobre as mesmas e fazendo-o refletir. O protagonista nem sempre é um modelo a ser seguido, muitas vezes é um personagem de carácter duvidoso e até mesmo cruel. Não há uma separação estrita entre o certo e o errado, pode carecer de humor, assim como cenas de drama e de ação não são obrigatórias, dependendo do tema.

Passemos então a comentar o estilo de algumas obras

Tenjou Tenge

Tenjou Tenge - Souichirou quase incendeia Mitsuomi
Tenjou Tenge – Souichirou quase incendeia Mitsuomi

Esta obra de Oh!Great é considerada, pela esmagadora maioria, como sendo um seinen, principalmente no seu formato original de manga, pelas cenas explicitas de violência e constantes cenas implícitas de sexo e estupro. Contudo, eu discordo. Embora seja realmente uma obra pesada, ela tem a estrutura narrativa de um shounen. O protagonista é um herói que se vai auto-superando e derrotando inimigos cada vez mais poderosos em prol dos seus valores e das suas metas. Ele é, portanto, um modelo a ser seguido. Há uma distinção clara entre os personagens que praticam o bem e os que praticam o mal, sendo que alguns dos antagonistas podem posteriormente trilhar o caminho da redenção ou vice-versa. O humor, o drama e a ação estão sempre muito bem conjugados . Não existe uma questão a ser debatida, trata-se apenas de uma sucessão de acontecimentos presentes na vida dos personagens.
Em contrapartida, vejamos um caso que prova que o grau de violência não é medidor de shounen ou seinen

Naruto

Itachi assassina o clã Uchia
Itachi assassina o clã Uchia

O Naruto, sendo sem qualquer dúvida um shounen, apresenta uma vertente extremamente violenta quando aborda alguns personagens como o Sasuke. Muitos debatem quem teve a pior infância. Ponham-se na pele de cada um deles. Eu, pessoalmente, preferia ser uma criança ostracisada pela sociedade por ter um espírito selado dentro de mim; ser igualmente uma criança ostracisada pelo mesmo motivo e depois a única pessoa em quem confio me tenta matar e acabar por ser ela a morrer do que ser uma criança normal e feliz com uma família pacata, a qual amoamo, e um dia chegar a casa e ver o meu pai, a minha mãe, os meus irmãos, tios, primos e avós todos esquartejados no chão, as paredes cheias de sangue e, quando olho para o assassino, vejo que é o meu irmão mais velho, a quem amei e idolatrei mais do que tudo na vida. No fim ainda tenho de correr e implorar para ele não me matar, cresço com mágoa, ódio e  rancor pelo meu próprio irmão e ainda acabo como os outros dois: ostracisado pela sociedade por pertencer ao clã de um traidor. Puta merda! Eu pirava, aliás, o Sasuke pirou tanto que de co-protagonista passou a antagonista. Ainda assim, muito sangue frio ele teve. Se fosse eu tinha ficado com Parkinson Alzheimer, síndrome de Down, tudo ao mesmo tempo, eu teria ficado senil por completo e para sempre. É, realmente uma cena muito chocante e passa em flash back inúmeras vezes no anime, deixando sempre uma sensação de angústia muito forte. É precisamente essa intriga do Sasuke com o Itachi que eu acho realmente interessante em Naruto, ver algo comprovado pela psicologia como o papel do irmão mais velho forma um modelo de comportamento para o irmão mais novo e o que acontece quando esse vinculo é quebrado de forma tão traumática. A personalidade do Sasuke é completamente extraviada pela mágoa ao ponto de querer mata os seus amigos e chegando mesmo a tentar matar a karin, sabendo que ela era perdidamente apaixonada por ele.

Samurai X

Shinta testemunha o massacre
Shinta testemunha o massacre

Este é outro exemplo de um shounen extremamente violento. Ele tem todas as características shounen, mas balança na corda bamba quando pensamos no tema que ele aborda e no realismo com que retrata uma sociedade tão perturbada como a Era Bakumatsu. Samurai x não precisa de sexo nem de gore para pôr os espectadores/leitores em agonia. Para mim, a cena mais tortuosa de assistir foi aquela em que o pequeno Shinta vê as mulheres serem esquartejadas ao tentar protegê-lo dos bandidos. E, ainda assim, ele enterrou amigos e bandidos com a mesma dignidade, pois, apesar de ser uma criança, já tinha sensibilidade suficiente para perceber que os bandidos não podiam ser totalmente responsabilizados, pois foi a sociedade tirana do Japão feudal que os criou. Para além disso, a estética narrativa e a estética gráfica são bastante agressivas quando se trata de descrever as cenas de massacre, ou a luta interior de kenshin.

Full Metal Alchimist

 

FMA-tá tudo fodido
FMA-tá tudo fodido

Mais um shounen estranho. Todos concordamos que é um shounen, certo? Em relação às cenas macabras e violentas, vocês sabem quais são, eu nem vou comentar.

Air Gear

Ikki cagando, Ringo assistindo
Ikki cagando, Ringo assistindo

Air Gear, do mesmo autor de Tenjou Tenge, não tem cenas própriamente violentas, mas consegue ser um shounen de estilo bastante agressivo, pois retrata os delinquentes urbanos sem quaisquer censuras, tanto no anime, como no manga. Os personagens usam vocabulário obsceno, tem mais ecchi do que To-Love-Ru, os conflitos entre os personagens são intensos e as nojeiras são constantes, como quando Ikki decide cagar na rua.

Ok, então agora vamos analisar alguns seinen

Berserk

 

A traição de Griffith
A traição de Griffith

O Berserk é um pouco difícil de comentar, visto que a obra não anda nem desanda e ainda há muitas pontas soltas. Mas, no geral, dá para perceber que se trata de um seinen, pois, inicialmene, não há um herói, apenas dois co-protagonistas com as suas qualidades e defeitos. A posição de herói e de anti- herói aparece quando o Griffith começa a ter atitudes manipuladoras e cruéis. Mas reparem que nesta oba não há uma separação nítida entre o bem e o mal. Nós ainda não sabemos exatamente o que levou o Griffith a tornar-se um demónio e o próprio Guts é um héroi não exemplar. As cenas de violência são extremamente gráficas e o suposto tema abordado (supoto porque o senhor mangaka põe-se a rabiscar outas coisas em vez de acabar o Berserk) é a ganância humana, a ganância de querer proteger toda a gente e, quando nos damos conta, já sacrificamos um monte de pessoas para obter o poder que nos permite sermos os salvadores. Quando Griffith vê que escalou uma montanha de corpos para chegar tão perto do poder, ele entende que já não pode voltar atrás e decide continuar o seu caminho de sangue e vender a alma ao demónio. Para além disso, há um misterioso conflito na relação entre o Griffith, o Guts, a Casca e a princesa. Ou seja, tudo em Berserk é muito complexo e macabro, a pervesão sexual é praticamente a base de toda a trama, então não deixa dúvidas que não é para crianças.

Akagi

Akagi
Akagi

Este seinen pode ser considerado de tema jogo ou desporto intelectual. Como de costume, não promove valores morais e a narrativa concentra-se na lógica e no raciocínio. Akagi é um jovem sobredotado e sociopata que vai conseguindo poder social através dos jogos mahjong nos casinos da yakuza, justificando os meios com os fins.

Death Note

 

Kira
Kira

Death Note é um shounen? Onde? Reparem bem. Uma obra que segue a mesma problemática da série norte-americana Dexter. Um psicopata que mata outros psicopatas, achando que vai conseguir uma sociedade mais justa. No final, a pressão é tanta que acaba por ter de matar pessoas inocentes para se livrar da justiça. Não existe um herói neste anime. Kira é o protagonista psicopata cuja ganância, tal como em Griffith, o leva a querer ser um Deus. O L é o antagonista que nutre uma lógica mais democrata, mas ele próprio rege-se pela razão e é isento de empatia, o que o faz tomar atitudes menos éticas e até cruéis para conseguir o seu objetivo. Não há humor, há personagens extravagantes, o que é diferente. A violência é constante e narrada de forma pouco afetada. A sucessão de peripécias é muito complexa e a ideia chave baseia-se na questão “o homem tem ou não tem o direito de tirar a vida de outros?”. Então eu acredito piamente que Death NotNote não é um shounen. Nem sequer há auto-superação dos personagens, nem um personagem modelo (a Misa é modelo né? Mas não estou falalando desses modelos) nem são cultivados valores como a amizade. Death Note é simplesmente um jogo de raciocínio com uma problemática que o raciocínio não pode resolver.

Another-brick in my corpse
Another-brick in my corpse

Outras obras seinen seriam aquelas tipo thriller como Another ou Ereased. São simplesmente animes de mistério que dão o que pensar. Em Another também não há um certo e um errado pois os personagens agem por medo de algo sobrenatural que não pode ser julgado. Em Ereased há claramente um héroi e um vilão, mas a sua estilística narrativa é muito semelhante à de Death Note e de Another. E, por fim, há seinens que não têm qualquer tipo de violência ou temática filosófica. Eles apenas tratam de temas que não interessam aos jovens e usam uma narrativa muio neutra. Eu darei um exemplo assim que me lembar de algum.

Bom, este post não é definitivo, ele será reformulado à medida que outros animes venham ao caso








Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *